Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Fruta mais Ácida

Lugar onde se vende toda, ou quase toda, a fruta com que a sociedade nos premeia. A fruta doce e a ácida estarão expostas à mistura com algum mel.

A Fruta mais Ácida

Lugar onde se vende toda, ou quase toda, a fruta com que a sociedade nos premeia. A fruta doce e a ácida estarão expostas à mistura com algum mel.

11
Dez19

Viva o Natal com os e as influencers

Manuel AR

Influencer_1.png

A inspiração tem andado muito fraca por aqui, razão pela qual espacei o tempo destinado a

azedar a fruta. Há algo que se passa comigo e que parece ser patológico, é a minha embirração com os(as), sobretudo “as”, “influencers”. Não tenho nada contra elas, mas conseguem irritar-me com a suas falinhas meigas e intimistas sobre o que se passa na cabeça delas e nos seus lares exemplo. De ves em quando para tornarem a coisa mais popularucha escrevem um palavrãozinho como sacana por exemplo. Balelas!

Influencer_2.png

Outro grupo com que embirro são esses palhaços ambulantes (nada tenho contra os verdadeiros palhaços) que se dizem humoristas de “stand up”, para esses, reservo para outra altura.

A aproximação do Natal faz entrar em agitação os blogs das(os) “influencers”. Estes têm vertentes correspondentes às suas atividades: há os das vendas, vendedores(as), das ideias, da sua própria imagem, das coisas fúteis, dos concelhos, da saúde, etc.

Sobretudo elas, as dos blogues, dizem que utilizam tudo o que aconselham. Pudera, a motivação dos(as) para a compra e o clique fácil está em pensar que há otários(as) que caem lá como moscas no azeite e fazer acreditar que: - Ah, se a Tininha do blogue das maçarocas usa, é porque então deve ser bom. Meus e minhas caros(as), tenho pena que acreditem que tudo o que se diz e aconselha(?) nesses lugares onde o milho doce estala seja usado lá por casa deles(as). Mais uma vez, balelas. O é preciso é que, quem lá vai bisbilhotar compre e clique no “gosto”, o resto é conversa fiada.

No caso da saúde há uma oportunidade de negócio com o olho nas mães preocupadas com as alergias dos seus filhos, homens, estes que ficam às portas da morte, salvos sejam, com a aproximação do tempo das alergias, vai daí, toca a incidir a tónica nos aparelhos de purificação de ar antialérgicos.

E influenciar para a compra é fácil, num tom mais ou menos intimista faço de conta que tenho em minha cas o mesmo problema de alergias com os rebentos e com a sua mulher ou com o seu homem, dependente do caso. Descrevem em pormenor o que se passa lá em casa com o menino, a menina, o marido, a prima, o primo, faltando apenas o cão e o gato por não serem dados a alergias observáveis.

Nem queiram saber, as alergias não são apenas na Primavera. Pois claro, até convém, pois estamos no outono e há que angariar algo e, portanto, lá vem a receita de aparelhos ditos como eficazes para as tais alergias que epidemiam as nossas casas. Mas não só, há uma preleide dessas coisas malignas como os pólenes, a relva, os ácaros, os gatos, os cães, aos pássaros, bla, bla…

Não lhes digo quais as marcas dos aparelhos sugeridos porque não ganho nada com isso e o por que preço é tal que meio ordenado mínimo não chega sequer para pagar metade do mais caro. E garanto-lhes em casa deles funciona perfeitamente e, por isso, aconselham a marca que lhes vai dar uns euritos.

Não me admira que o nosso Presidente Marcelo Rebelo de Sousa tenha há algum tempo comunicado que iria convidar para conhecer os (as) “influencers” deste país. Como se isso fosse sendo algo muito importante. Será que também ele se deixou influenciar e que, sem que se saiba, anda por aí a seguir esses(as) ditos(as) para saber o que se passa com as últimas novidades? Não sei em que é que isso ficou. Deixei de acompanhar.

Mas não fiquem por aí, se estão com problemas alimentares não hesitem, força com os suplementos alimentares. Eu, cada vez que os vejo em anúncios na televisão ficou logo em pulgas e pego no telefone que me indicam no rodapé do ecrã e ligo de imediato para comprá-los. Compro logo três ao preço de um. Eu, que tinha um olho vesgo para os suplementos alimentares caía logo em tentação.

Agora para espanto meu, num blog pessoal que presume ser mais um blog conselheiro de compras geridos por dito(a) “influencer” e outros que por aí andam e são até muito concorridos em número de acessos e em “gostos”, sim “gostos” e não likes, encontrei o meu suplemento ideal.

Pasmem-se mães ansiosas com a alimentação dos seus filhos, descobri o suplemento ideal: é o “Júnior” para crianças. Mas há para todos os gostos, para as(os) vovôs(ós) também. Não, não digo a marca porque, mesmo que o faça não cai nada para este lado, euros, claro, não é?

Vejam só esta deliciosa frase que não é minha foi “roubada” num desses blogs, por irresistível que é: “Desde as avós cansados e cheios de dores nas articulações e muitas mais coisas assim como os miúdos, para quem as vitaminas são também precisas se lhas meterem no bucho vão ver como  crescem e saem de casa mais cedo, que a vida está agreste e difícil para todos. Grande momento zen não acham?

Mas há mais, debitam então a composição do dito produto, qual farmacêutico diplomado com mestrado e tudo, e também como médico(a) de família que propôs a dita receita.

Outro momento zen do melhor: “Cá em casa temos andado a experimentar os suplementos XXX-BLABLA. Já tomei o que é indicado para o Stress, e foi assim uma pequena maravilha na altura em que andei com aquele nervosinho todo durante a tour, e, entretanto, experimentámos dar o XXX-BLABLA Júnior ao Zezinho. A coisa até passa assim meio que despercebida, porque em vez de comprimidos, este suplemento vem num ursinho para mastigarem, assim cor de laranja e fofo. Por vontade dele, comia logo uma caixa inteira, mas é capaz de não ser uma boa ideia.”

Porra, se um não lesse isto tudo até ao fim era capaz de enfiar uma caixa inteira pela boca abaixo do meu Zezinho. Não, esta frase não é roubada é minha.

Até no final da página da escrita pessoal e intimista para influenciar a compra está escrito em letras minúsculas:

“Post em parceria com XXXX-BLABLA.

XXXX-BLABLA é um suplemento alimentar. Para mais informações, consulte XXXX-BLABLA.pt.”

Pura publicidade.

A sugestão é feita fazendo crer que o autor(a) está envolvido(a) e que, na realidade ele(a) próprio(a) utiliza o produtozinho aconselhado na sua casa, e fazer parecer que está envolvido(a), que nem parece publicidade. Se querem saber de bons produtos vão a esses blogues com escrita apelativa que relatam o quotidiano de quem escreve. É como se estivesse lá em casa, do(a) autor(a) claro. São plenos e bons conselhos para tudo.

Imaginem se eu escrevesse no meu blogue:

O produto é tão bom que até o comprei para a minha casa nova que mobilei com móveis fantásticos da “Casa dos Móveis” e que foram muito em conta como podem confirmar no respetivo “site”, um conjunto de móveis para a minha nova sala de estar da nova casa apenas por 10.000 euros. Que tal amigas(os)? Foi uma delícia de aquisição e ficou tudo tão perfeito! Foi aí que percebi que, na “Casa dos Móveis” os preços não eram uma coisa assim tão diabólica e que há alguns que preenchem todas as necessidades e mais algumas.

Força amigas(os) que se deixam influenciar, vão até lá, estão à distância dum clique, mas tenham em atenção que:

Um estudo apresentado em abril deste ano no Congresso Europeu da Obesidade sugere que apenas um em cada dez “influencers” de saúde sabe realmente do que está a falar nas suas publicações relativas a perda e manutenção de peso.

Enfim, há já quem comece a duvidar da fiabilidade da publicidade que youtubers, instragammers e outros influencers fazem nas suas páginas a determinadas marcas, por mostrarem situações que, muitas vezes, não correspondem à sua realidade ou não conhecerem nem comprovarem realmente os benefícios de determinado produto.

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D